A História do RPG


Estou preparando este artigo há um bom tempo, mas sem muito tempo para termina-lo. Além disto estou escrevendo uma outra série de posts muito bacana sobre o aspecto teórico dos RPGs, vocês vão gostar. Vamos lá:

A ORIGEM

Baseado no Xadrez os wargames foram criados no século 18 para realizar exercícios militares e foram evoluindo em complexidade ao mesmo tempo que incorporavam jogadas de dados para simular o acaso. Com o tempo os jogos de guerra saíram dos exercícios militares e passaram para a área dos Hobbies, inicialmente como um jogo para crianças e posteriormente para adultos utilizando modelos em escala e maquetes detalhadas, geralmente das guerras napoleônicas.

Em 1954 foi lançado o jogo Diplomacy com grande sucesso. Na década de 60 elementos de fantasia começaram a ser incorporados nos wargames. Barker criou o jogo Tekumel, posteriormente em 1970 a Associação de Wargamers da Nova Inglaterra apresenta o jogo Middle Earth em uma convenção. Em 1971 Gary Gygax publica seu wargame Chainmail que nno início era um cenário histórico e posteriormente incorporou elementos de fantasia. Em 1974 o mundo de Glorantha é publicado em um tabuleiro por Greg Stafford.

Em 1969 Dave Wesely em um encontro de wargamers na universidade de Minesota, "mestrou" uma sessão de um jogo seu chamado Braunstein, onde cada jogador representava um único oficial ou revolucionário na cidade fictícia. Braunstein foi a primeira vez que o roleplay foi usado e era muito semelhante a uma sessão de live action. Estas sessões de Braunstein tiveram como participante Dave Arneson que em 1971 usaria a idéia para seu jogo de fantasia chamado Blackmoor.

Blackmoor já tinha vários elementos presentes hoje nos RPGs como pontos de vida, classe de armadura, pontos de experiência e dungeons além de usar miniaturas em um grid para representar os combates. Dave Arneson e Gary Gygax acabaram se encontrando e como todos sabemos criaram juntos os 1º RPG a ser publicado, o Dungeons & Dragons unindo as idéias de Blackmoor e Chainmail.

A DÉCADA DE 70

Gygax funda a TSR e em 1974 publica o D&D. Com o sucesso do jogo logo aparecem outros RPGs de fantasia medieval e ficção científica, além da revista Dragon e outros produtos associados. No final da década de 70 a TSR lança o AD&D, uma versão muito mais minuciosa e com vários livros cobrindo diversos aspectos do jogo como o primeiro livro do mestre.


A DÉCADA DE 80

Em 1984 a TSR tinha 300 empregados. O RPG rapidamente ficou famoso e novas empresas começaram a publicar seus jogos como a Chaosium e a Palladium. Os jogos começaram a ser traduzidos para outras línguas alcançando outros países. Jogos também começaram a ser criados em vários países da Europa e também no Japão.

Os RPG começaram a influenciar outras mídias, notavelmente os video games e foi lançado em 1983 o desenho Caverna do Dragão, baseado no D&D. A segunda edição do AD&D chega às lojas em 1988. Enquanto o D&D ainda criava os personagens sorteando os atributos com dados, outros jogos começaram a favorecer o equilíbrio entre os personagens usando sistemas alternativos como pontos de criação de personagens e introduzindo outros elementos como skills, vantagens e desvantagens.

A DÉCADA DE 90

Em 1991 é lançado Vampiro a Máscara pela White Wolf trazendo o RPG para mais perto da interpretação e o drama. O jogo faz enorme sucesso e seu cenário gótico é expandido no chamado Mundo das Trevas. O jogo se espalha também em sessões de live action.

A popularização dos computadores e video games aumenta o interesse dos jogadores em RPGs eletrônicos e outros games. Em 1993 Richard Garfield e Peter Adkinson criam Magic the Gathering, o primeiro CCG iniciando uma febre de cards colecionáveis. Não se sabe se pela competição com estes dois novos hobbies ou outros fatores, o mercado de RPG começou a encolher.

Artigos em revistas especializadas previam o "fim do RPG" nesta época. A TSR enfrentou grandes dificuldades econômicas e foi vendida para a Wizards of the Coast em 1997, esta seria um ano mais tarde comprada pela gigante Hasbro.

ANOS 2000

Com a chegada da 3a edição do D&D foi criado o OGL que permitia outras empresas a publicar material suplementar para o jogo. A industria gráfica experimentou uma mudança para melhor, tanto em qualidade dos livros como no seu formato.

O mercado de print on demand e livros em PDF permitiram empresas independentes não importando seu tamanho, a publicar seus jogos, os RPG Indie. Hoje o RPG tem experimentado um lento recomeço com esta industria independente. Muitos jogos novos são lançados todos os anos mesmo em tiragens pequenas ao em vez de serem lançados dezenas de suplementos para um único jogo.

Empresas como a Cubicle 7, a FFG e a Modiphius despontam neste novo mercado auxiliados por novas ferramentas como os financiamentos coletivos, as redes sociais e livrarias virtuais de venda de PDf como o Drivethrurpg.com e o RPGnow.com.

Se o RPG vai desaparecer? Acredito fortemente que não. Na verdade eu acho que ele vai continuar crescendo em todo o mundo. Talvez a quantidade de dinheiro investido pelos jogadores no hobby não seja mais a mesma, mas sempre existirá um público fiel à este passatempo tão interessante, e este público vai ensinar seus filhos...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sistemas de RPG parte 1: Dados

Sistemas de RPG parte 3 - Evolução dos personagens

Sala de jogos pronta e Mesa de jogos